Você está satisfeito com a pessoa que você é?

0
SaKAIZEN Sakurai

Faz parte do processo de vivenciar minha missão de vida de “ajudar as pessoas a descobrir e utilizar todo o potencial que pulsa, vibrante, dentro de cada um.

É mostrar os caminhos para o processo de aperfeiçoamento contínuo e constante (KAIZEN), visando uma melhor qualidade de vida. É poder contribuir para tornar este mundo, um lugar cada vez melhor, onde realmente valha a pena viver”.

Se pelo menos duas pessoas se beneficiarem do conteúdo dos artigos, já terei cumprido minha parte. Parece muito pouco, mas se cada uma dessas duas pessoas se comprometerem a compartilhar seus conhecimentos e contribuir com o aperfeiçoamento de mais duas outras pessoas e essa rede se espalhar, então minha missão já terá sido um estrondoso sucesso. No trigésimo segundo nível de interação, aproximadamente oito bilhões e seiscentos milhões de pessoas, mais que toda a população mundial atual, já poderão ter sido beneficiadas. Esta é a magia multiplicadora do conceito de rede.

Vamos iniciar fazendo uma reflexão sobre a pessoa que somos.Você está feliz com a sua vida? Você está satisfeito/satisfeita com sua carreira, com sua saúde, com seus ganhos financeiros, com seus relacionamentos e com a sua qualidade de vida? Você já atingiu o patamar de excelência em tudo que você faz? Enfim, você está satisfeito/satisfeita com a pessoa que você é? Se você é uma das raras pessoas que respondeu positivamente a todas essas questões, meus parabéns.

A verdade é que muitas pessoas não estão satisfeitas consigo mesma. Enxergam mais defeitos e limitações que qualidades. Sua voz interior é muito ácida e crítica. Acham que não são tão boas quanto gostariam que fossem. Tratam a si próprio como tratam as pessoas de quem não gostam. Maltratam seu corpo com comidas inadequadas, álcool e outras drogas, criam dor e doenças em si próprio. Não demonstram afeto e amor próprio, ficam com raiva de si mesma e se culpam pelos seus fracassos. Adiam fazer coisas que lhes beneficiam, não reservam tempo para si e nem desenvolvem atividades que lhes dão prazer.

Aceite você do jeito que você é. Somos perfeitos através de nossa imperfeição, tendo, inclusive, a capacidade de cometermos erros. Todo ser humano tem pontos positivos e negativos. Perceber e aceitar que você é um ser humano, com defeitos e qualidades, com sentimentos de medo, de insegurança, dúvida e ressentimento é o passo inicial para uma vida menos estressante.

Veja suas deficiências e limitações como ponto de partida para mudanças, visando seu aperfeiçoamento e evolução como ser humano, e não como bloqueadores de suas realizações e como justificativas para seus fracassos.

Você se conhece de verdade?

“Aqueles que conhecem os outros, são sábios.
Aqueles que se conhecem, são iluminados.”
Lao Tse

Apesar de conviver tanto tempo consigo mesmo, a maioria das pessoas não se conhece de verdade. Tem a dificuldade de fazer uma auto-análise, de enxergar suas qualidades e suas limitações de uma forma justa, imparcial e isenta de distorções. Sua percepção e seu discernimento ficam desfocados e distorcidos, dificultando uma perspectiva adequada para o seu auto-conhecimento.

Essa dificuldade de auto-análise é decorrente da tendência de adotarmos apenas uma perspectiva de auto-avaliação. Segundo Joseph Luft e Harry Inghan que idealizaram a Janela de Johari, a imagem holística de uma pessoa é composta de:

– Imagem aberta: inclui todas as características que você sabe que tem e os outros também sabem que você tem.
– Imagem secreta: inclui as características que você sabe que tem e os outros não sabem.
– Imagem cega: inclui tudo aquilo que você não sabe que tem e os outros sabem que você tem.
– Imagem desconhecida: inclui as coisas que nem você nem os outros sabem que você tem.

Normalmente, a própria pessoa tem a percepção consciente de quem ela é, apenas através de sua imagem aberta e de sua imagem secreta. Porém, ela não tem a percepção consciente de sua imagem cega e nem de sua imagem desconhecida. O objetivo do auto-conhecimento é ter uma percepção mais completa possível de si mesmo, principalmente as características que fazem parte da sua imagem cega e da sua imagem desconhecida.

O que você gosta e não gosta em você?

Você pode iniciar seu processo de auto-conhecimento pelo que você percebe da sua imagem aberta e da sua imagem secreta. Trace uma linha central de cima até embaixo dividindo uma folha de papel no meio. No lado esquerdo da folha, comece listando tudo quilo que você gosta em você. Liste as qualidades que você acha que tem e gostaria de continuar mantendo. A seguir, ainda do lado esquerdo, liste tudo que você não gosta em você. Relacione as suas limitações e deficiências que você tem que não gostaria mais de ter e que fazem parte de sua imagem aberta e da sua imagem secreta. O que consta destas duas listas representa como você percebe conscientemente a pessoa que você é.

Aproveite aquilo que você listou para começar a refletir sobre a pessoa que você gostaria de ser. No lado direito, ao lado da lista das qualidades que você tem, liste agora as qualidades que gostaria de ter e ainda não tem. A seguir, transforme cada limitação ou deficiência que você identificou em uma qualidade que você ainda não tem. Faça isso, identificando ao lado de cada limitação a qualidade que você gostaria de colocar em seu lugar. As listas do lado direito contem as qualidades que você deve desenvolver para se transformar na pessoa que você gostaria de ser.

Conhecendo sua imagem cega

O próximo passo é conhecer a sua imagem cega, tudo aquilo que as outras pessoas sabem que você tem, mas você mesmo não sabe que tem. Qual a imagem que as pessoas que convivem com você têm a seu respeito? Como elas avaliam suas atitudes e seu comportamento diário? ´Para seu processo de auto-conhecimento é importante receber o feedback de como as pessoas julgam você, vendo aquilo que você mesmo não consegue enxergar. Passar por este processo nem sempre é fácil. Uma avaliação envolve não apenas elogios, mas também críticas. É preciso desarmar o espírito belicoso, é preciso saber ouvir tudo com humildade, refletir sobre tudo que foi observado, sem se alterar emocionalmente e sem criar mágoa ou ressentimento.

Escolha algumas pessoas que lhe conhecem bem e em quem você confia. Peça-lhes que listem todas as qualidades e limitações que elas percebem em você. Compare estas listas com a sua própria lista. Tudo que constar das listas dessas pessoas, mas não constam de sua própria lista, podem ser características que fazem parte de sua imagem cega. Para concluir este processo, assuma as duas outras posições perceptivas. Assuma a segunda posição da pessoa que lhe avaliou e perceba o que você sente ao se ver desta perspectiva. Depois, assuma a terceira posição, a de um juiz imparcial para você tirar as suas conclusões independentes. Inclua as qualidades e limitações que você considerou válidas e que as outras pessoas percebem em você, mas você não percebe na sua lista de qualidades e deficiências pessoais que você tem.

Conhecendo sua imagem desconhecida

Até agora você tem uma melhor percepção das qualidades e limitações que fazem parte da sua imagem aberta, da sua imagem secreta e da sua imagem cega. Para completar o seu processo de auto-conhecimento você precisa conhecer a sua imagem desconhecida. É uma jornada para o seu interior, para as camadas mais profundas de sua psique em busca da descoberta da sua essência, de seu Self. Acredito que você já tem material suficiente para trabalhar e, assim, vamos deixar para uma segunda etapa o processo de conhecer a sua imagem desconhecida.

O que você gostaria de mudar em você?

Agora que você fez os exercícios propostos, você já tem uma visão abrangente de quem você é.

Ao nível de desenvolvimento pessoal, você tem uma melhor compreensão da pessoa que você é. Você conhece com maior profundidade toda sua força interior, todos os seus recursos e suas qualidades pessoais. Agradeça pelas suas conquistas e pela pessoa que você é. Sinta o prazer de possuir cada uma dessas qualidades. Valorize-as. Elas serão bastante úteis quando você estiver trilhando o caminho para o seu sucesso.

Você identificou, também, suas limitações e deficiências que não quer mais. Você sabe todas as coisas positivas que você quer colocar no lugar delas, que vão ajudar voce a transformar-se na pessoa que você sempre quis ser.

Agora que você tem plena consciência do seu estado atual, de onde você está, o próximo passo é definir o seu estado desejado, ou seja, para onde você quer ir. Mas isto fica para discutirmos num outro texto.

Saudações
SaKAIZEN Sakurai

mais artigos Em Busca da EXCELÊNCIA

 


Comments are closed.