Tomando notas com mapas mentais

0
Rodrigo Zambom

StartupStockPhotos/Freerange Stock

Problemas em tomar notas com aqueles papeizinhos? E aqueles que ficam colados na tela do computador?

Quando você faz anotações de uma aula ou palestra e não as estuda depois é inevitável que a informação seja perdida. Fazemos muitas anotações, usamos toneladas de papéis e não temos tempo de revê-los ou sequer identificar uma informação importante meio a inúmeras anotações. Se você tem alguns destes problemas, talvez você esteja precisando usar Mapas Mentais.

O conceito de Mapas Mentais surgiu a partir de estudos em nosso cérebro, precisamente no estudo dos hemisférios cerebrais. O nosso hemisfério esquerdo é responsável pelo racional, seqüencial e analisa a experiência em detalhes. O hemisfério direito é responsável pelo emocional, é o lado criativo e possui uma visão global e sistêmica das experiências.

Baseado nesses estudos surgiram poderosas ferramentas de aprendizado e uma delas foi o Mapa Mental, desenvolvido e estudado pelo inglês Tony Buzan a partir de observações no comportamento de seus alunos e colegas que obtinham excelentes resultados a partir das diferenças em fazer anotações. Eram utilizadas muitas cores, imagens, símbolos e ligações similares ao processo cerebral de pensamento. A eficácia do Mapa Mental é comprovada porque une os dois hemisférios em sua produção.

Mapas Mentais: um caminho para o sucesso

Estudos sobre a memória indicam que nosso cérebro irá esquecer 80 % dos detalhes de uma experiência de aprendizado em apenas 24 horas e 99 % em duas semanas. As maiorias dos programas de treinamento em muitas empresas falham em não atentar para esse fator.

Uma das grandes desmotivações para um colaborador que participa de um treinamento é aprender algo importante e depois “perder” quase tudo em duas semanas. A partir disto, muitas companhias com a honesta intenção de motivar e treinar seu pessoal, estão na verdade desmotivando sua força de trabalho. Além disso, os diretores financeiros das empresas podem concluir que 99 % do dinheiro gasto em programas de treinamento são desperdiçados.

A alfabetização mental é a habilidade de aprender, como aprender e entender como nossos processos principais de pensamento estão estruturados, oferecendo um caminho para ir além. A escala de habilidades de nosso cérebro inclue palavras, imaginação, números, ritmo, consciência espacial, lógica, análise, linearidade, gestalt e associações. A maioria destes fatores são usados em combinação e quanto mais desenvolvidos mais o nosso desempenho melhora.

Um dos principais métodos de integração das habilidades do cérebro são os Mapas Mentais. Combinando todas as escalas de habilidades cerebrais, o Mapa Mental pode aumentar sua criatividade, sua memória e sua cooperação, tornando mais fácil para as pessoas visualizarem seus objetivos, mudar hábitos, monitorar o progresso e melhorar nossa capacidade de aprendizado. O Mapa Mental permite também um salto considerável na claridade e qualidade de nossos pensamentos.

Vantagens dos Mapas Mentais

– É rápido. Você pode gravar mais com os Mapas Mentais em um mesmo período de tempo;
– Você pode facilmente adicionar ideias depois do Mapa pronto;
– Ajuda você a concentrar a informação, estruturar, conectar e desconectar ideias caso seja necessário;
– Com o seu Mapa Mental, você pode descobrir outras conexões antes despercebidas;
– Adicionar recursos como figuras, cores e símbolos que aumentam sua capacidade de memorização;
– Em apenas um Mapa Mental você pode concentrar muitas informações. Notas de uma ano inteiro podem ser condensadas em uma folha de papel.

Desvantagens dos Mapas Mentais

– Você não pode copiar as informações para um editor de textos, por exemplo. As informações têm um formato padrão;
– Seu Mapa Mental tem códigos e padrões pessoais, e isso pode dificultar o entendimento por outras pessoas.

Princípios do Mapa Mental

– Quanto mais você seguir esses princípios, mais eficaz será o seu mapa;
– Comece no centro com uma imagem do assunto principal, use pelo menos três cores;
– Use imagens, símbolos e códigos em todo o mapa;
– Selecione as palavras chaves e escreva-as usando letras maiúsculas e minúsculas;
– Cada palavra ou imagem dever ser separada e situada em sua própria linha;
– As linhas devem estar conectadas, começando sempre na imagem central. As linhas centrais são grossas, necessárias e vão ficando mais finas a medida que vão se afastando do centro;
– Faça as linhas com o mesmo comprimento da palavra imagem;
– Use cores a partir de seus próprios códigos em todo o mapa;
– Desenvolva seu estilo próprio de construir seus Mapas Mentais;
– De ênfase as associações;
– Mantenha o Mapa Mental limpo, desobstruído, usando hierarquias, ordens numéricas ou contornos para dar ênfase as ramificações.

Como fazer Mapas Mentais

1 – Comece pegando uma folha de papel branco tamanho A3 ou A4 e algumas canetinhas coloridas. Recomendo aqui nesta primeira etapa o uso do papel no formato de paisagem, ou seja, na horizontal;
2 – Relaxe e acesse o lado direito da mente, seu lado criativo e caso tenha a crença que não sabe desenhar, suspenda-a por algumas horas;
3 – Selecione o assunto, por exemplo, “Viagem de Negócios” e escreva ou desenhe no centro da página;
4 – Dívida e ramifique qualquer idéia relacionada com o tema central, tais como: “Viagem”, “Preparação” e “Comida”. Inclua todos os seus pensamentos, eles podem parecer obscuros ou irracionais, porém eles lhe darão uma perspectiva clara e nova sobre o assunto;
5 – Use uma cor em cada ramificação. Elas partem do centro podendo ter novas ramificações. Esgote todas as possibilidades de tópicos possíveis;
6 – Procure resumir seus pensamentos em uma palavra por linha, dessa forma você é livre para fazer boas combinações;
7 – Use imagens ao invés de palavras sempre que possível, desenhe bordas em volta, ou destaque as informações importantes. Quanto mais criativo e colorido o mapa, mas facilmente você guardará as informações;
8 – Quando você tiver esgotado o assunto, edite e reagrupe suas anotações em outra folha em branco, otimizando seu trabalho e produzindo o mapa definitivo.

Os Mapas Mentais refletem a arquitetura natural de planejar e estruturar os pensamentos, bem similar ao cérebro humano, permitindo uma rápida, porém profunda exploração de ideias enquanto mantém simultaneamente o foco no assunto central. Com a inclusão de formas, cores, e tamanhos como estimulantes visuais, a técnica dos Mapas Mentais permite a você desafiar hipóteses, quebrar seu processo convencional de pensamento e estruturar seus recursos mentais.

mais artigos sobre PNL

 

 


Comments are closed.