HIPNOSE ESTRATÉGICA

Hipnose moderna

Por Gastão Ribeiro
   
   

O USO DO TRANSE INFORMAL EM HIPNOSE

A Utilização da Linguagem Terapêutica ou a Hipnose Moderna é um novo conceito criado no meio hipnótico. A Hipnose Moderna é o transe sem transe, é o uso da ferramenta hipnose e todas as suas características no processo formal de psicoterapia. É criar um processo informal de transe, através do uso de linguagem hipnótica, confusão mental, redefinição, não estabelecendo o transe formal.

   

Utiliza um nível de transe leve, onde as ferramentas hipnóticas são usadas de forma criteriosa e estratégica para alcançar o efeito terapêutico. As ferramentas hipnóticas extremamente úteis no trabalho com crianças e adolescentes associadas a jogos de mesa e técnicas projetivas.

O Transe Leve:

O Transe Leve é o primeiro estado de transe e se caracteriza por: Relaxamento; Catalepsia de pálpebras; Olhos fechados; Sensação de peso; Catalepsia corporal leve; Respiração lenta e profunda; Músculos faciais rígidos; Anestesia de luva; Sugestibilidade para sugestão pós-hipnóticas.
Na Hipnose Moderna, muitos destes sinais, citados acima, não aparecem, pois utilizamos processos informais de transe. A linguagem hipnótica é usada para focar atenção e o tom de voz para alcançar os objetivos terapêuticos.

A Linguagem Hipnótica:

tom da voz também influencia na relação hipnótica, uma voz entonada é capaz de trabalhar os dois hemisférios cerebrais, se mostra bem útil para a dissociação mente consciente, mente inconsciente. Quando queremos acessar a mente racional durante um transe hipnótico devemos usar um tom de voz mais claro e metódico e para acessar a mente inconsciente, devemos usar de sensibilidade, musicalidade, portanto, devemos usar um tom melódico.
No nosso cérebro existem padrões de seqüências eletroquímicas que se propagam em certas freqüências. São elas:

  1. Nível BETA – Freqüências cerebrais a partir dos 14 ciclos por segundo. Corresponde ao estado de vigília, estando associado ao mundo físico, à ação, aos 5 sentidos físicos (visão, audição, olfato, paladar e tacto) e percepção das dimensões espaciais e tempo; Pensa-se que pode atingir um máximo de 70 hz.

  2. Nível ALFA - Freqüências cerebrais entre os 7 e os 14 ciclos por segundo. É o nível consciente interior, estando associado aos pensamentos e intuição ou aos sentidos internos, onde os conceitos de espaço e tempo deixam de existir. Pode ser alcançada através de relaxamento, meditação, devaneio (durante o dia) ou durante o sonho (à noite). Na maioria dos casos, o estado de hipnose acontece neste nível, o mesmo ocorrendo em certas experiências psíquicas;

  3. Nível TETA - Freqüências cerebrais entre os 4 e os 7 ciclos por segundo. É um nível de consciência interior mais profundo, podendo ocorrer em situações de sono ou relaxamento mais profundos e onde parece que as nossas experiências emocionais são registradas. Utilizado para anestesias em cirurgia dentária, parto sem dor, etc..

Um dos principais objetivos de qualquer indução hipnótica é reduzir o nível da atividade ou freqüência nos quais esses padrões são gerados. Ao induzir um transe, diminui-se o ritmo da voz e sua altura. O ritmo da voz entra em freqüência natural com o cérebro provocando uma inibição das atividades cerebrais.

A voz ritmada provoca o relaxamento inicial do hemisfério esquerdo de cérebro, com isso ativando as áreas emocionais. Essa ressonância de freqüência conduz o cérebro a baixar sua atividade de ondas beta (12 a 30Hz) para a atividade das ondas para e ondas Alfas, e posteriormente teta (de 4 a 8HZ), vista num EEG.

A mudança no nível da atividade do funcionamento do cérebro das ondas beta para alfas e teta, atinge todas as faculdades do cérebro e da mente que dependem ou estão sujeitas a elas. São esses níveis de atividade ou estados globais do cérebro que provocam a visualização, memória, atenção e vontade. Quando o nível de atividade do cérebro decresce, provoca uma diminuição no nível de norepinefrina (NE) e aumenta a acetilcolina possibilitando que as imagens visuais se tornam mais vívidas e cai a capacidade de prestar atenção e exercer a vontade. As mudanças do nível de atividade na base do cérebro,provocam uma mudança de atenção do externo (exteriorização) para o interno (interiorização).

Portanto os padrões de linguagem hipnóticos devem executar as duas tarefas simultaneamente: diminuir o ritmo da voz (reduz o nível da atividade) e direcionar a atenção do assunto interior ao mesmo tempo.   

Mas, nunca devemos esquecer que cada cliente reage diferente ao transe hipnótico e suas variáveis, é preciso adequar o tom da voz para que ela se adapte sob medida para cada indivíduo.

A Linguagem Indireta        

A Linguagem Indireta se baseia em Sugestões. A Sugestão é a comunicação ou a criação de uma idéia que proporciona uma reação, fugindo ao controle da consciência. A sugestão é algo que provoca um efeito e associações com outras idéias.

A sugestão direta é aquela que inclui declarações específicas, estereotipadas, ex.: “Você entrará em transe profundo, agora.” A sugestão indireta, ao contrário, é ambígua, permitindo maior amplitude de interpretação pessoal: “– mais cedo ou mais tarde você ficaram surpreso a respeito de entrar em transe muito profundo, sendo que você pode fazer isto repentinamente ou de forma suave e gradual”. A sugestão indireta deixa lacunas que o cliente preenche com os seus conteúdos pessoais. A sugestão indireta é uma estratégia que ajuda a criar motivação para as mudanças.

A Linguagem Indireta deve ser um método experencial que indica como fazer de uma forma diferente, e podem ser feitas de duas formas, por similaridade ou por analogia. Similaridade é utilizar se situações que o cliente gosta. Por analogia é contar casos parecidos, de uma forma indireta.

        Por exemplo um trabalho com dor :

  • Se fosse uma cor que cor seria ?
  • Se fosse um instrumento que instrumento seria ?
  • Depois use as analogias para entrar com uma indução.

À medida que a pessoa resolve a analogia ela resolve o problema. Tem um uso terapêutico eficiente em crianças, como : “Se sua dor é uma bigorna, veja ela indo embora”.

        A analogia é uma comunicação paralela, e quando conversamos de uma forma paralela é muito mais poderoso do que de uma forma direta. A arte é uma prova disto. Quando perguntamos ao cliente com o que o seu problema parece, estamos criando ferramentas para trabalhar. Existem pessoas que são muito metafóricas.

        Existem várias formas de trabalhar com Linguagem Indireta, elas são :

  • Tarefas Metafóricas Esta é uma outra forma de usar Linguagem Indireta. O terapeuta pega o símbolo do problema ou sintoma e fazer uma tarefa. Podemos chamar isto de mentalizar a tarefa;

  • Tarefas Simbólicas Elas podem ser usadas como avaliação ou como tarefa, e deverá ser feito na sessão. O princípio desta tarefa a da terapia Gestalt, onde terapia é uma emergência segura, traga o problema para dentro da sessão. A comunicação das idéias em uma tarefa simbólica, deverá ser acompanhada por uma tarefa, então as idéias simples ganham força.

  • O Uso de rituais Rituais são tarefas simbólicas envolventes, mas um pouco complicadas. Pedir ao cliente para ir a uma loja , comprar uma vela, ir até a igreja e acendê-la e retornar com uma avaliação.

  • Linguagem Indireta Funcional Ambígua:

  • Anedotas e Metáforas o que chamamos de anedota, são estórias construídas, estórias reais, podendo inclusive usar piadas. A mais avançada forma de usar esta técnica e na forma de Entremeamento. No entremeamento empilhamos estórias com situações normais. Por exemplo : Começamos a primeira estória, no meio desta começamos a Segunda estória, nomeio da Segunda estória começamos a terceira e a contamos por inteiro, terminamos a Segunda estória e então terminamos a terceira estória. As Metáforas são como um vírus de computador, mudam o passado emocional e da uma nova compreensão a ele. Erickson contava piadas durante o transe, pois tinha a percepção que a mente inconsciente poderia curtir as coisas. Freud analisava as piadas, Erickson as utilizava.

o usarmos Linguagem Indireta com metáforas simbólicas dentro de um processo de terapia, estamos usando uma técnica avançada, pois  se associa a metáfora usando uma experiência simbólica.

Utilizar a Linguagem Indireta é colher o que o cliente traz , usá-lo criando um paralelo simbólico. Existem formas indiretas de se colher a história familiar, se você quer saber sobre o irmão do cliente, conte uma história sobre o seu irmão.

Fonte – O uso de Hipnose com Crianças – Apostila de Curso – Gastão Ribeiro.
 

mais artigos de Gastão Ribeiro

             
     FIQUE POR DENTRO

  Faça seu cadastro e receba   em seu email uma notificação   assim que um novo artigo for   publicado no site

 

Insira seu email

 
             
Faça uma busca pelo site
 
 
   
 
 INDICAÇÃO DE LIVROS

Manual Completo de Coaching

O Monge e o Executivo: Uma História Sobre a Essência da Liderança Hipnose na Prática Clínica  
 
   
 
 
 

Faça uma busca pelo site

 
Cadastre seu email e
fique por dentro das novidades

 
 
 
 
 
 
Facebook Portal CMC Twitter Portal CMC Portal CMC