Estado Alfa

0
Antonio Azevedo

O que chamamos de “Estado Alfa” ou Alpha é um determinado predomínio cortical pré-frontal de frequências cerebrais próximas a 10 ciclos por segundo.

Algumas investigações parecem indicar que um predomínio estas frequências em determinadas partes dos lobos conscientes significam que a mente está concentrada de forma criativa – isto aparece durante sonhos, em devaneios, em meditações e orações, mas também em momentos de intensa concentração prazeirosa, quando, por exemplo, um matemático está resolvendo um problema instigante, um artista está buscando definir uma pintura ou um escritor está escrevendo a sua obra.

As pesquisas ainda não são conclusivas, mas alguns acreditam que este estado é o que alguns psicólogos chamam de “estado de fluxo”, uma sincronização mental. É como se a parte hipotalâmica da mente – responsável pela motivação – e o sistema límbico – responsável pela resposta emocional – se entrosassem com a parte cortical pré-frontal – responsável pelas decisões conscientes e julgamentos.

Na passagem do estado de sono ao acordar – estado hipnopômpico – ou do estado de acordar para dormir – estado hipnogógico – a mente transita, por um pequeno período, por este estado. Mas isto não significa que é um estado que obrigatóriamente acompanha o relaxamento físico ou mental.

Pode ocorrer este estado e o corpo estar ativo, se bem que tarefas físicas muito conscientes, que não estejam automatizadas, obrigam a mente a “vir para fora”, a se ligar nas percepções externas, e ela não pode ficar assim tão sintonizada como descrito acima.

Dito isso, tá explicado como é possível “estar em Alpha” enquanto andando no meio da rua… Ou melhor, andando pela calçada, pois no meio da rua enquanto está passando os carros não é muito seguro ficar em Alpha… :-) Uma pessoa em Alpha pode parecer “aérea”, ou “hipnotizada”, mas está é concentrada de uma maneira agradável, em algo que gosta de fazer e pensar. Poderá, por exemplo, estar construindo um objeto, como um marceneiro, que consegue mexer em suas ferramentas praticamente de olhos fechados… Ou pode estar, efetivamente, de olhos fechados, meditando.

Quanto a não sentir as mãos, ou formigamento delas, são reações fisiológicas diversas, e depende de cada um. Normalmente advém do relaxamento auto-imposto enquanto a mente está muito estimulada. Isto é, ainda sobra bastante adrenalina nos músculos e a mente consciente se obriga a relaxar. Os músculos podem então formigar, e outras sensações diversas, pelo reacomodamento sensorial do processo de relaxamento rápido…

Visualizar de forma ASSOCIADA, quando não está relaxado pode ser um pouco difícil, no início, pois a atenção no corpo dificulta imaginar sentir alguma outra coisa… O que posso sugerir é ignorar isso, lembrando que é uma CRENÇA que você tinha: que não podia se envolver e se sentir EMOCIONALMENTE conectado a uma experiência imaginada, enquanto o seu corpo-mente pensa e sente outras coisas.

Lembre-se, por exemplos, dos monges tibetanos que sofreram torturas intensas pelos chineses, e mantinham o seu pensamento longe, imaginando-se em seus templos, meditando tranquilamente. Quanto mais dor infligiam aos seus corpos, mais inquebrantável era a determinação deles de se focalizar em seu estado mental. De certa forma, quanto menos relaxamento os seus corpos tinham, mais forte ficava a sua concentração Alpha…

Por isso, a melhor dica para você, que deseja manter uma focalização em suas meditações dinâmicas, em seus estados Alpha ou quaisquer outros nomes que deseje chamar, é IGNORAR as distrações, mesmo que elas permaneçam lá. Simplesmente não acredite que elas possam interferir com a sua concentração – e elas perderão o pequeno poder que ainda tinham de interferir…

Se quer AMPLIAR o estado emocional que sente quando está em um Estado Alpha, em um estado de recursos poderosos, como diz a PNL, mantenha a atenção em seu objetivo e ESPERE que a emoção adequada venha, com CONVICÇÃO que ela virá, da mesma maneira que um pescador senta à beira do lago, coloca a isca certa no anzol e pòe a linha na água, com certeza que o peixe certo morderá a isca… E, deste modo, a espera é agradável, é prazeirosa, vale a pena, até o momento que ZAPT! puxará a linha e sentirá o imenso prazer do foco, do fluxo, quase orgásmico, da idéia mental cultivada até o estado do êxtase, do seu Estado Alpha

mais artigos sobre Relaxamento

 


Comments are closed.