A importância da risoterapia

0
Fabiana Barbosa

Photl.com

Rir é um santo remédio.
Rir é saber correr o risco de fazer papel de bobo.

Quando rimos movimentamos mais de 400 músculos em todo o organismo, oxigenamos os pulmões e estimulamos a circulação sanguínea.

Cientistas afirmam que 5 minutos de riso são equivalentes a 45 minutos de ginástica aeróbica.

Vamos resgatar a criança dentro de você e tornar-se um ser humano mais feliz?

Veja os 10 benefícios do riso:

1. Fortalece os relacionamentos;

2. Diminui chances de demissão;

3. Aumenta a produtividade;

4. Impulsiona a criatividade;

5. Controla o estresse;

6. Excelente exercício para o sistema cardiovascular;

7. Estimula os órgãos internos;

8. Estimula o sistema imunológico;

9. Suaviza a dor;

10. É divertido!

Estamos lidando diariamente com injustiças sociais, desempregos, fome, miséria, repressões, pressões, dificuldades, problemas econômicos e stress, afetando o ser humano devido às crenças, tradições e traumas transmitidos pela nossa educação familiar e social. As pessoas reagem com amargura, indignação, ansiedade, depressão, melancolia, medo, conflitos, pessimismo, raiva, mau humor, sofrimento e tristeza.

A expressão facial demonstra constantemente como o indivíduo está se sentindo. Se você começar a observar as expressões corporais, verificará que a maioria das pessoas não está feliz, ao contrário, estão sempre muito estressadas e de cara amarrada.

Os estados emocionais negativos geram energia condensada, provocando a desarmonia interior. Quando ocorre o desequilíbrio, o indivíduo tem sua auto-estima comprometida e o sistema imunológico também é afetado. Se o indivíduo não buscar recursos para lidar com esse desequilíbrio, iniciará um processo psicossomático, doenças que surgirão como manifestação. É como se o seu corpo lhe dissesse: “olha você não esta bem é hora de respeitar os seus limites e buscar o equilíbrio”. Quantas pessoas estão doentes por não administrarem suas emoções? Há quanto tempo não dão boas gargalhadas? Há quanto não olham para a janela e vêem o lindo dia que se inicia ou ao menos se olha no espelho para desejar a si mesmo que tenha um ótimo dia!

O processo de mudança ocorre em cada pessoa a partir do momento em que toma ciência de suas condições atuais e parte para uma revisão de hábitos. Para haver a mudança interior e para que as atitudes sejam condizentes com uma nova forma de viver em harmonia consigo mesmo e com todos em sua volta, a reformulação dos pensamentos é fundamental . O ser humano necessita criar hábitos saudáveis de vida, cultivar novos valores, novas crenças, novos pensamentos, novos sentimentos e novos comportamentos.

A cura interior é um processo terapêutico e o trabalho de cura depende somente de você. É a liberdade para expressar suas idéias, pensamentos, sentimentos e talentos.

Hipócrates, o pai da medicina no século IV a.C. já utilizava animações e brincadeiras na recuperação de seus pacientes.

Darwin, pioneiro nos estudos dos movimentos expressivos da comunicação não-verbal, classificou o sorriso e o riso entre movimentos expressivos inatos e universais.

Freud, dizia que uma cena cômica e o riso proporcionam saúde física e mental das pessoas.

O médico norte-americano Hunter Adams, vem utilizando com sucesso, desde os anos 60, o riso como agente de cura, uma eficiente ferramenta terapêutica que favorece a recuperação e a cura dos pacientes.

Frans Alexander, Psicanalista do Instituto de Psicanálise de Chicago, concluiu em suas pesquisas que o “caráter liberador do riso é um meio de extravasar as tensões e de se evitar as doenças psicossomáticas”.

E assim, temos inúmeros cientistas, filósofos, psicólogos e outros profissionais que descobriram que rir é o melhor remédio para a cura de todos os males, no corpo físico, mente e espírito.

Então o que você está esperando? Que tal começar a rir agora mesmo?

Quando você está rindo de verdade, está trabalhando com a contração de todos os músculos da face, ativando toda a circulação sanguínea e proporcionando ao corpo um grande bem estar.

A sua fisionomia ao sorrir ou rir, fica muito mais bonita.

A fisionomia de quem não tem o hábito de sorrir ou rir é sempre fechada, triste, amarrada, emburrada, séria…

Rir é saber viver superando os problemas, doenças, medos e outros sintomas negativos. É aprender a lidar com os conflitos internos e externos com amor. é aprender a viver com total intensidade no aqui e agora.

Quando conscientizamos de que a vida é feita de desafios e aprendemos a viver com esses desafios e sorrindo, estamos curando nossos sofrimentos com sabedoria. Logo, esses desafios vão suavizando os seus aspectos, ficando mais leves e fáceis de solucionar, ao contrário de quem faz a opção pelo mau humor.

Não adianta sorrir só com os lábios para demonstrar aos outros uma falsa alegria, a pessoa precisa sorrir de dentro para fora, ou seja, de si para os outros. Não é fingir ou brincar de rir, é rir de verdade e com vontade.

O riso proporciona harmonia das funções corporais e emocionais, que nos permite viver com alegria, felicidade, prazer e satisfação.

Quando estamos de bem com nós mesmos, com a natureza, com as pessoas, com as coisas, com o planeta, com o universo, estamos felizes.

Rir é agradável e faz bem, deixa o corpo e a mente com defesas contra as doenças do meio externo, melhora a circulação e a pressão arterial. Libera “endorfinas”, que promovem uma sensação de bem-estar geral e, melhor, não tem contra-indicações.

As pessoas com problemas de mau humor merecem nossa atenção especial, elas precisam de tratamento terapêutico adequado para melhorar sua auto-estima.

O mal-humorado é uma pessoa em desequilíbrio, que tem problemas como culpas, frustrações, indignações, revoltas ou traumas e que inconscientemente sente-se bem em ser infeliz, em sofrer, em reclamar, em ser vítima, em ser um desmancha prazeres, em semear o mau humor, provocando uma verdadeira reação em cadeia por onde passa, contagiando negativamente as pessoas, simplesmente porque tem dificuldades relativas a afetividade. Dar e receber afeto, doar e receber amor, amar e ser amado e sorrir, para essas pessoas constituem um verdadeiro problema.

O mal humorado nunca fica feliz vendo outro feliz, a felicidade do outro lhe incomoda, inconscientemente fará de tudo para estragar a felicidade da outra pessoa.

Há uma diferença em rir sem prejudicar ou humilhar a outra pessoa, isso daremos o nome de empatia. Devemos usar a empatia no treino do riso diário e também nos colocarmos no lugar do outro.

Comece a rir agora mesmo, não perca tempo, isso é promover alegria e bem estar para você e para todos em sua volta.

Fabiana Barbosa é Psicanalista, Psicoterapeuta Junguiana, Psicoterapeuta Holística, Master Practitioner em PNL, Parapsicóloga, Palestrante e Consultora de treinamentos empresariais.
E-mail: polimento.do.ser@gmail.com | Site: www.polimentodoser.com.br

mais artigos Fabiana Barbosa

 


Comments are closed.